Analisando suas correspondências de DNA no MyHeritage

Analisando suas correspondências de DNA no MyHeritage

Quando você faz um teste de DNA do MyHeritage, a quantidade de correspondências de DNA que você espera receber varia muito de comunidade para comunidade. Enquanto em alguns grupos genéticos, um usuário pode esperar dezenas de milhares de correspondências, outros podem ter que se contentar com 100. Ainda assim, o número de correspondências no MyHeritage está aumentando a cada dia, e as correspondências futuras são apenas uma questão de tempo.

Independentemente de quantas correspondências você tenha, sugerimos uma abordagem sistemática para investigá-las. Você ficará surpreso com o quanto pode descobrir trabalhando sistematicamente com suas correspondências.

Como o DNA é herdado aleatoriamente, encontrar ouro é uma questão de cavar no lugar certo. Isso significa que primeiro precisamos decidir como priorizar as coreespondências e onde investir o tempo que temos para trabalhar com elas.

O método recomendado envolve dividir sua lista de correspondências em 4 grupos da maneira descrita abaixo, além de aproveitar ao máximo as ferramentas do MyHeritage para compará-las e explorá-las.

Grupo 1: “Faróis”

No MyHeritage, recomendamos testar primeiro seus ancestrais diretos mais antigos e parentes de segundo grau. Testar primos e primos em segundo grau contribuirá quase tanto e, portanto, também é muito importante.

Depois de distribuir vários kits de DNA como presentes de Natal e de aniversário e seus parentes os fzerem, você terá vários faróis:pessoas que você conhece pessoalmente e com quem você sabe exatamente como está relacionado.

Os faróis são a chave para sua pesquisa. O fato de que o relacionamento deles com você já é conhecido terá um papel significativo. Isso também significa que não precisamos investir nenhum esforço para investigar esse grupo. Em vez disso, podemos usá-los para nos ajudar a aprender mais sobre os outros grupos.

Nosso objetivo é, em última análise, “atualizar” os indivíduos dos grupos descritos abaixo nesse grupo. Quanto maior o grupo de faróis, mais poderoso será o seu banco de dados particular de DNA. Eventualmente, você poderá usar esse banco de dados para romper barreiras em sua pesquisa genealógica.

Grupo 2: Âncoras

O segundo grupo são suas âncoras. Essas são as correspondências com as quais você ainda não está familiarizado. Esse grupo geralmente consiste em pessoas com quem você compartilha mais de 2% do seu DNA. 

Se você e a correspondência puderem rastrear seus ancestrais de 4 a 5 gerações, é provável que você encontre um par comum de ancestrais. No entanto, esse nem sempre é o caso. Recomendamos considerar todas as correspondências com as quais você compartilha mais de 1,8% do seu DNA.

Primeiro, identifique quais das correspondências “âncora” têm árvores genealógicas. Familiarize-se com as árvores dessas âncoras:

  • Solicite associação ao site da família. Na árvore deles, você está procurando por (a) locais de nascimento e (b) sobrenomes dos ancestrais da correspondência. Se você não deseja solicitar associação, pode aproveitar as informações que nosso sistema fornece: a árvore genealógica, os locais compartilhados e os sobrenomes compartilhados, bem como os Smart Matches ™ que você compartilha com essa pessoa.

  • Verifique quem são suas correspondências de DNA. Pode encontrar alguma das suas correspondências “farol” lá? Nesse caso, isso pode ajudá-lo a determinar quem é seu ancestral comum com a âncora.

 

  • Documente todas as dicas ou conclusões nas anotações de correspondência.Você pode adicionar uma nota a uma correspondência de DNA na lista Correspondências de DNA clicando no ícone de balão no canto superior direito do cartão de correspondência:

 

É essencial verificar todos os aspectos e detalhes que a correspondência tem a oferecer. Não deixe nenhum detalhe passar despercebido.

  • Familiarize-se com suas correspondências de DNA para que você possa reconhecer os membros da família em outras descobertas ou através de outras correspondências de DNA. É também por isso que é importante documentar todos os detalhes nas notas.

Grupo 3: “Potenciais âncoras”

A mina de ouro real é o grupo de primos de segundo, terceiro ou quarto grau com quem você compartilha mais de 1%.

Nesse grupo, um usuário pode esperar dezenas a centenas de correspondências. Lembre-se: esse número continuará crescendo à medida que mais pessoas em todo o mundo testam seu DNA todos os dias.

Observe que em algumas comunidades e etnias, um pode ter uma alta porcentagem de correspondência com outro usuário devido à endogamia (a prática de se casar em uma pequena comunidade). Em populações endogâmicas, algumas de suas correspondências fortes podem representar similaridade agregada – o que significa que você herdou muitos pequenos segmentos de DNA compartilhado de alguns ancestrais muito distantes, em vez de alguns segmentos maiores de DNA compartilhado de um ancestral mais próximo. Em um caso como esse, o relacionamento estimado estará mais próximo do que o verdadeiro relacionamento.

No grupo de possíveis âncoras, precisamos priorizar, pois queremos obter uma lista mais focada das correspondências com maior chance de serem identificadas e elevadas ao nível de “faróis”.

É importante entender que parentes do mesmo relacionamento podem ter uma porcentagem e quantidade de DNA totalmente diferentes compartilhadas. Mesmo irmãos completos podem obter porcentagens diferentes – que dirá primos, onde a variedade de combinações possíveis é extremamente flexível.

O MyHeritage oferece a você a opção de filtrar todas as correspondências pelos seguintes critérios:

  1. Aqueles com quem você compartilha Smart Matches ™
  2. Pessoas com quem você compartilha qualquer local na árvore genealógica
  3. Aqueles que têm uma árvore genealógica extensa
  4. Aqueles que residem em um país de interesse

Esta seção pode ajudá-lo a encontrar dicas adicionais, mas às vezes são necessárias tentativas e erros para encontrar o equilíbrio certo de práticas recomendadas que o ajudarão em sua pesquisa.

Para revisar todos os indivíduos importantes entre as possíveis âncoras, use o filtro:

Todos os parentescos-> “Família Estendida” e depois Classificar por-> “O maior segmento”

Essa lista incluirá também algumas das pessoas que identificamos como âncoras.

Grupo 4: “Possibilidades”

Todas as correspondências abaixo de 1% do DNA compartilhado são chamadas possibilidades.Esse grupo provavelmente inclui milhares de correspondências.

Aqui, a priorização não é uma escolha, mas uma obrigação. Se você não priorizar as correspondências aqui, investirá muito tempo nas correspondências mais difíceis e poderá perder as correspondências mais importantes para você.

Para investigar esse grupo, comece gerando um AutoClusters

Os clusters gerados consistem em um máximo de 500 nomes – geralmente muito menos, dependendo da família e das correspondências.

Seu objetivo para este grupo é tentar expandir os clusters gerados pelo sistema agrupando correspondências mais fracas com base em correspondências compartilhadas, locais conhecidos e sobrenomes conhecidos.

Para se beneficiar desse grupo, tentamos “colher” informações de cada correspondência. É importante trabalhar de forma completa e sistemática para evitar a revisão das mesmas correspondências mais de uma vez.

Um sistema é localizar um farol ou âncora e anotar as correspondências mútuas entre você e essa correspondência. Concentre-se naqueles cujo maior segmento compartilhado é mais longo.

O agrupamento das correspondências em clusters pode torná-las muito mais benéficas quando a próximo pista significativa aparecer.

Conclusão

O número de correspondências de DNA que você tem é ao mesmo tempo pouco e muito. Aproveite as poucas correspondências fortes e trabalhe com eficiência na massa de correspondências mais fracas. Ao dividir suas correspondências nos 4 grupos descritos acima e usando as ferramentas do MyHeritage, você poderá aproveitar suas correspondências da maneira mais eficiente possível.

URL is copied to your clipboard.